Verão 2021 acende alerta para combate ao Aedes aegypti



Cuidado redobrado!

Verão acende alerta para combate ao Aedes aegypti e outras pragas, como baratas, ratos, cupins e até escorpiões.

  Os cuidados devem ser redobrados, pois algumas pragas como cupins, podem trazer prejuízos para a construção predial e também podem danificar documentos e outros que contenham celulose.

  Em virtude da pandemia do novo Coronavírus, hospitais e unidades básicas de saúde têm se encontrado em colapso. Com isso, o combate às pragas de verão pode ficar obsoleto por parte da administração pública, fazendo com que a atuação da população ganhe uma importância ainda maior neste momento.

  De acordo com o vice-presidente da Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas (Aprag), Sérgio Bocalini, a atenção maior por parte da população seria uma das formas mais eficientes de combater este problema, que pode se intensificar neste período em que as pessoas estão mais expostas ao contato com o Aedes aegypti, ratos, baratas, aracnídeos cupins, dentre outros.

  Os roedores, segundo Bocalini, são outra praga que costuma ter maior presença neste período do ano. Com as chuvas, esses animais buscam abrigo em áreas mais protegidas, como residências e estabelecimentos comerciais. "Há um maior registro de ratazanas em casas, lojas comerciais ou áreas industriais. As fortes chuvas acabam contribuindo para esse acontecimento", explicou.

  O período do verão também exige maior cuidado dos brasileiros em relação aos acidentes com escorpiões, já que o clima úmido e quente é considerado ideal para o aparecimento desse tipo de animal peçonhento, que se abriga em esgotos e entulhos. A limpeza do ambiente e a adoção de hábitos simples, de acordo com o Ministério da Saúde, são fundamentais para prevenir picadas. Já em casos de altas infestações, é recomendado o controle através do uso de escorpionicida químico.

  Outro ponto de atenção é em relação aos cupins, que tendem a aumentar durante o período de maior calor. Recentemente, com o aumento da temperatura em pleno inverno, houve registro de revoadas de cupins em muitas cidades.

  O presidente da Aprag afirma que a tendência é que haja um crescimento na ocorrência de invasões de cupins em casas e áreas de construção e, por isso, há uma preocupação com estruturas prediais as quais podem ser prejudicadas com a presença destas pragas.

fonte: https://bit.ly/3oONsLZ

Tecnologia do Blogger.